Colunistas
Eu fui ao Clássico da Revolução
por Manoel Façanha



No domingo (25) coloquei minha máquina Nikon D 7200 na bolsa, peguei uma carona com o amigo Gleison Gomes (assessor jurídico da prefeitura de Plácido de Castro) e fui fazer a cobertura ao vivo e em cores do Clássico da Revolução, agendado para o estádio Ferreirão, envolvendo as equipes do Plácido de Castro e do Imperador Galvez.

A viagem foi bem tranquila e o almoço melhor ainda (uma delícia). O certo é que o mando de jogos do Tigre do Abunã na cidade de Plácido de Castro tem movimentado positivamente a cidade em vários aspectos, inclusive, o econômico, com bares e restaurantes e entre outros estabelecimentos comerciais ficando bem movimentados. Outro fator positivo diz respeito ao fato das partidas virarem um grande programa de domingo para os moradores do município, atraindo, inclusive, turistas de outras localidades mais próximas do município. E não menos importante diz respeito à visibilidade positiva que a cidade placidiana vem ganhando nos noticiários da capital Rio Branco, isso motivado pela realização de jogos no estádio Ferreirão. Ou seja, o prefeito Gedeon Barros (PSDB) fez um gol de placa.

Também digno de elogio a persistência da presidente do Plácido de Castro, a administradora de empresas Rafaela Escalante. Foi ela que foi buscar o apoio do poder público para fomentação de renda para o seu clube, não somente o dinheiro arrecadado nas bilheterias, mas também com o apoio de empresários locais e comunidade.

AS CURTINHAS

O estádio Ferreirão possui uma ampla e confortável cabine de imprensa climatizada para transmissão de jogos.

Fui informado ainda que o estádio receberá verbas para sua ampliação e, assim, melhorando ainda mais a comodidade das equipes, torcedores e imprensa esportiva.

Se tudo correr dentro do programado, a possibilidade do Tigre do Abunã mandar seus jogos no estádio Ferreirão, quando da disputa do Campeonato Brasileiro da Série D, é real.

O prefeito Gedeon Barros e o deputado federal Major Rocha, ambos do PSDB, estiveram nas arquibancadas do estádio Ferreirão apoiando o Tigre do Abunã no jogo do último domingo contra o Galvez.

Antes disso, os dois políticos conversaram com imprensa. Rocha, por exemplo, revelou que já foi cronista esportivo em meados dos anos de 1980, quando o jornalista Roberto Vaz era presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Acre (Acea).

O prefeito Gedeon agradeceu o esforço de cada membro da imprensa esportiva acreana pelo deslocamento até sua cidade para a realização da cobertura do jogo do Plácido de Castro.

Bom dia!

 
© Copyright 2004 - 2018 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte