Colunistas
Jaercio Teixeira
por Francisco Dandão



Prestes a completar 82 anos (ele nasceu no dia 18 de fevereiro de 1937), o dentista Jaercio Teixeira da Silva, ex-capitão do Exército Brasileiro na 4ª Companhia de Fronteira, paulista da cidade de Macucos, distrito de Getulina, é um desses personagens pouco lembrados do futebol acreano.

Ele se mudou para o Acre em 1968 e passou a ser um assíduo frequentador das arquibancadas do Estádio José de Melo. De acordo com o dito cujo, numa conversa que tivemos no início de novembro, ele não perdia um só jogo do campeonato estadual. Com chuva ou sol, estava sempre lá.

No dizer dele, Jaercio, “os clássicos, envolvendo o Atlético, o Juventus, o Rio Branco e o Independência eram sempre emocionantes. Em todos esses times jogavam craques excepcionais, jogadores de altíssima técnica. Era sempre um grande prazer ver aqueles atletas em ação”.

Mas o seu envolvimento direto com o futebol acreano só foi acontecer de fato em 1979, atendendo a um convite do dirigente juventino Elias Mansour Simão Filho. Elias queria agregar valores ao seu clube. E Jaercio foi eleito para exercer a presidência do Juventus por um biênio.

No seu período de mandato à frente do Juventus, auxiliado diretamente por outros dois membros da família Mansour (Dadinho e Tonso), Jaercio Teixeira disse que focou o seu trabalho em dois polos: formar grandes elencos no futebol e fortalecer as atividades sociais no Clube da Águia.

Desses grandes elencos reunidos na gestão de Jaercio Teixeira sobreveio pelo menos um resultado mais do que expressivo: o título do Copão da Amazônia de 1981. E das atividades sociais, ele destacou uma seresta que o clube realizava na sua sede em todos os finais de semana.

Logo após sair do Juventus, o doutor Jaercio ainda deu uma grande contribuição ao desporto local, assumindo a direção do Departamento de Árbitros da Federação Acreana de Desportos (FAD), convidado/convocado pelo então presidente Werther Moraes, seu companheiro de quartel.

E foi durante a sua permanência nesse cargo (menos de um ano) que ele deixou, provavelmente, o seu maior legado para o futebol acreano, ao realizar o primeiro curso de arbitragem do estado. Os árbitros, que apitavam por intuição, passaram a ter um conhecimento teórico das regras.

Jaercio Teixeira é o entrevistado da 8ª edição do “gibi” Futebol Acreano em Revista. A publicação será lançada nesta sexta-feira (21), na festa dos melhores do ano promovida pela Federação de Futebol do Acre. A revista é gratuita. Quem quiser é só pegar o seu exemplar na sede da entidade.

 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte