Colunistas
Título em boas mãos
por Francisco Dandão



Acabou mais uma edição do campeonato acreano de futebol profissional. Depois de dois empates em um a um nas partidas decisivas e mais uma sessão de pênaltis, o Atlético Acreano, time do segundo distrito de Rio Branco, ganhou o direito de levar a taça para guardar nas suas vitrines.

Eu pensei em dizer que o título ficou em boas mãos. Acabei dizendo mesmo, mas depois me dei conta do quanto esse pensamento representa uma obviedade. O título sempre fica em boas mãos. O título significa que, no geral, o time que o conquistou funcionou melhor do que os adversários.

No caso do Atlético, chama a atenção o súbito apetite que o clube adquiriu pelo alto do pódio. Fundado em 1952, o Galo conquistou apenas cinco títulos na época do amadorismo, regime que perdurou até o ano de 1988. O time que se veste de azul ganhou em 1952, 1953, 1962, 1968 e 1987.

Na era profissional, o Atlético precisou de três tentativas para levantar o seu primeiro caneco. Depois de o Juventus vencer os campeonatos de 1989 e 1990, o glorioso Galo do segundo distrito chegou à sua conquista inaugural, com um time que alinhava craques como Paulinho, Dim, Ley e Joãozinho.

Depois disso, o clube passou por uma série de percalços do ponto de vista da organização, com erros sucessivos dos seus dirigentes. E assim, o segundo título profissional só veio 25 anos depois, em 2016. Mas aí o Galo tomou gosto pela coisa. E agora venceu três dos quatro últimos campeonatos.

Ao vice-campeão Galvez, por seu turno, deve-se dar todos os méritos. Fundado em 2011, o Imperador rapidamente se transformou num time extremamente competitivo. Já chegou à finalíssima em três oportunidades (2015, 2018 e 2019). Está batendo na trave. Uma hora a bola vai entrar.

Agora é hora de virar a chave. Tudo é vertigem. O tempo não para e a bola segue o seu ritmo. O Atlético nem vai ter tempo para comemorar. Na sexta-feira já pega a estrada para encarar outra pedreira. O Galo vai ao interior do Rio de Janeiro para estrear na série C contra o Volta Redonda.

O Galvez idem. No dia 4 de maio o Imperador vai encarar o rondoniense Real Ariquemes, pela série D. Menos mal que a estreia vai ser em casa e, dessa forma, dá para fazer o elenco descansar antes de iniciar mais um desafio. O Galvez vai tentar de novo o seu primeiro título profissional.
É isso. Como eu disse umas linhas atrás, tudo é vertigem e nem o tempo e nem a bola podem parar. O campeão acreano parte em busca de novos triunfos. O título estadual de 2019 ninguém esquecerá. Seguirá para sempre na história do clube. Mas já é chegada a hora de uma nova conquista!

 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte