Colunistas
Hora da virada
por Francisco Dandão



Depois de jogado todo um turno no campeonato brasileiro da Série C, o glorioso Atlético Acreano encontra-se na incômoda situação de último lugar no Grupo B da competição. Dos 27 pontos disputados, o Galo Azul do Segundo Distrito de Rio Branco contabilizou apenas e tão somente sete.

A nação atleticana, a essa altura dos fatos, vendo o seu time segurando a lanterna do respectivo grupo, deve estar deveras preocupada. Metade da competição já foi para as calendas, sendo que a cada revés do time sempre se tem esperado que a retomada do bom caminho venha no jogo seguinte.

No cerne da questão, eu diria, reside a incapacidade do Atlético de vencer os seus jogos como mandante. Das quatro partidas em casa, o Galo empatou três (1 a 1 com o Ypiranga-RS, 2 a 2 com o São José-RS e 1 a 1 com o Paysandu-PA) e venceu uma (Tombense-MG, 2 a 1). Pouquíssimo!

Diante do abismo imponderável da metafísica que representa uma partida de futebol no momento em que a bola rola, diria o poeta, o time que não soma três pontos quando joga em casa está seriamente fadado ao fracasso. Em casa é preciso atropelar quem quer que apareça pela frente.

Ao que estar por vir, levando em conta que eu só acredito que tudo está perdido quando não tem mais jeito mesmo, eu penso que esse Atlético agarrado à lanterna de hoje tem tudo para fazer um returno diferente, somar os seus pontinhos e espantar o fantasma do rebaixamento para a Série D.

O ponto da virada, aliás, pode ser já neste final de semana, quando o adversário vai ser o Volta Redonda-RJ. Na primeira rodada, no interior do Rio de Janeiro, num dia de arbitragem mais do que duvidosa, o time carioca levou a melhor e fez 3 a 0. O troco, então, viria numa hora providencial.

Eu acho mesmo que esse Volta Redonda é o adversário perfeito para o Atlético iniciar a sua caminhada para fora da zona do rebaixamento. Afinal, além de ganhar aquele jogo lá da primeira rodada, de maneira um tanto esquisita, o time carioca venceu apenas mais uma vez (2 a 0 no Tombense).

Jogando fora de casa, o Voltaço não ganhou de ninguém: perdeu duas vezes (Remo 2 a 1 e Juventude 1 a 0) e empatou outras duas (1 a 1 Boa Esporte e 1 a 1 Luverdense). Não tem sido até aqui um visitante indigesto não. Não é possível que ele vai querer engrossar o caldo justo agora.

Pois então é isso. Que venha o returno da Série C e que o Galo acreano incorpore a ideia de que no seu terreiro é ele quem deve dar as cartas. Da minha parte, eu tenho a esperança de que a luz dessa lanterna que está nas mãos dos atleticanos em breve poderá ser transferida lá para o fim do túnel!

 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte