Colunistas
Fim de semana passado
por Francisco Dandão



Foi um fim de semana ruim para os times acreanos que disputam a Série D do campeonato brasileiro. O Galvez sofreu nova derrota fora de casa (já são duas no torneio, contra, respectivamente, Castanhal-PA e Penarol-AM) e o Atlético só empatou contra o Fast-AM, jogando no próprio terreiro.

No caso do Galvez, menos mal que o time venceu nas duas oportunidades que mandou os seus jogos (2 a 1 no GAS-RR e 2 a 1 no Atlético). Quer dizer: mesmo sofrendo o revés no interior do Amazonas, ainda está ali pelo meio da tabela de classificação, com seis pontos ganhos.

Isso significa que o Imperador do Acre só depende de si mesmo para avançar na competição. Naturalmente, não pode perder todas as que jogar na casa dos outros. Em algum momento vai precisar sim pontuar também por aí, em algum lugar de uma estrada (ou rio) da vasta Amazônia Ocidental.

Como eu sou um otimista incorrigível, e como eu acredito no trabalho do técnico Paulo Roberto de Oliveira Lima, penso que o primeiro triunfo do Galvez fora de casa pode acontecer já na próxima rodada. O Fast, adversário da vez, embora ainda não tenha perdido, só ganhou umazinha até aqui.

Sei lá se isso de o Galvez ganhar fora de casa vai mesmo acontecer na próxima rodada. Não tenho visto nada na minha bola de cristal. Muito menos tenho conseguido ler coisa alguma nas cartas do meu velho tarô. Inclusive porque o céu do Brasil anda mais pra borrasca do que pra brigadeiro.

O que eu sei, seguindo a filosofia de um vetusto parceiro de dominó, no caso o engenheiro agrônomo Simi Batista de Menezes (hoje morando no litoral do Espírito Santo), é que “o jogo só acaba quando termina”. E que “entre um dia e outro tem sempre uma noite no meio”. Frases do Simi!

Por outro lado (que coisa horrível de se dizer numa crônica supostamente destinada a leitores de todas as idades), apesar da sabedoria do meu antigo parceiro de dominó, é preciso um mínimo de competência dos “artistas” dentro do campo para que os bons resultados comecem a surgir.

A única coisa que um técnico competente pode fazer é traçar uma estratégia, de acordo com o adversário, e orientar os seus comandados para a devida execução das tarefas. Se os caras que suam as camisas não conseguirem executar o que é pensado pelo treinador, a vaca some no brejo.

Pois então é isso, meus caros amigos aí na frente destas mal traçadas de hoje. Tudo ainda está por vir. Ainda tem muito chão a percorrer na Série D deste ano. O Galvez só precisa começar a jogar bem fora de casa. O Atlético, por sua vez, além de jogar bem tem também que aprender a rezar.

 


© Copyright 2004 - 2021 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte