Colunistas
Fracasso
por Francisco Dandão



Quando começarem os jogos do próximo campeonato mundial sub 20, programados para o período de 20 de maio a 11 de junho, na Coréia do Sul, nós não teremos o prazer de ver a seleção brasileira em campo. O Brasil foi o quinto entre seis, num torneio que classificava quatro seleções.

A desclassificação dos “meninos” do Brasil foi sacramentada na noite de sábado, em Quito, após um melancólico empate sem gols com a Colômbia, seleção que acabou em último lugar no hexagonal final do campeonato sul-americano. O Brasil só precisava de uma vitória simples.

Pode-se dizer que o desempenho dos jovens jogadores brasileiros foi vexaminoso. Em várias partidas o time “amarelo” esteve em vantagem no placar e acabou sendo derrotado ou cedendo o empate. E assim, de tropeço em tropeço, somados os equívocos, sobreveio a eliminação para o Mundial.

Antes do início do torneio continental, o Brasil era considerado o favorito ao título. Por esse pensamento, mesmo que acontecesse alguma zebra, a vaga para o Mundial da Coréia era tida como “barbada”. Afinal de contas, muitos dos atletas da seleção atuam como titulares nos seus times.

E, como se isso não bastasse, há menos de um ano o Brasil foi campeão olímpico, dando certa impressão aos torcedores nativos de que estava surgindo uma nova geração de craques, destinada a dar alegrias a perder de vista nos próximos tempos. O triunfo faz exacerbar a euforia!

Então, somando-se uma coisa e outra (os jovens já titulares de equipes tradicionais e a vitória nas Olimpíadas), nem o mais pessimista dos analistas poderia imaginar que o time nacional voltaria do Equador pra casa humilhado, atrás até da Venezuela, país sem tradição alguma no futebol.

Claro, eu sei que nos Jogos Olímpicos o limite de idade era de 23 anos. E sei também que havia o reforço dos “veteranos” Neymar, Renato Augusto e Weverton. Mas, ainda assim, era de se esperar que a geração ligeiramente posterior pudesse continuar aquele nosso momento de alegria.

Para completar a frustração, ressalte-se que a seleção brasileira só não esteve presente em duas das vinte edições da Copa do Mundo sub 20. Isso aconteceu em 1979 e 2013. E, além disso, é o time de melhor retrospecto, com cinco títulos e quatro vices. E agora, eliminação sumária!

Se existem explicações para um fracasso desse tamanho? Certamente existem sim. Devem ser múltiplas as razões. A mim ocorre pelo menos uma. Talvez a principal delas. Falta um craque que chame o jogo para si, um sujeito íntimo da bola que assuma a responsabilidade. Simples assim!

 
© Copyright 2004 - 2017 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte