Notícias
FAF cria diretoria de futebol de base e nomeia Thiago Durante
Bastidores
14.11.2017 - 16:21 - Amazonas

A Federação Amazonense de Futebol criou, nesta segunda, um novo departamento, este voltado para os jovens do Estado: a diretoria executiva do futebol de base. O profissional que ficará encarregado do cargo tem experiência na função, com passagens por clubes do Amazonas no currículo. Trata-se de Thiago Durante, ex-gestor dos estádios construídos para Copa do Mundo.

Thiago permaneceu por quase dois anos na gestão dos estádios. Foram, precisamente, um ano e sete meses. Ele espera um bom "mandato" nesse novo desafio.

Hoje um novo ciclo se inicia. Estamos assumindo uma nova função na Federação Amazonense de Futebol, o de Diretor Executivo de futebol de Base. Aceitamos esse desafio com muita alegria, com a vontade de fazer sempre o melhor. Trabalharemos muito para que as coisas aconteçam. A Base nos interessa. Contamos com a colaboração de todos, sempre - postou o dirigente, em sua rede social.

Em texto compartilhado para seus seguidores, Durante fez questão de agradecer o ex-secretário de esportes, Fabrício Lima, e despediu-se - de vez - do cargo antigo.
- Há mais de um mês não respondo mais pela gestão dos estádios do Amazonas. No período de um ano e sete meses me dediquei ao máximo em contribuir com o futebol local, a base pôde usar os estádios sem custo, inclusive a Arena da Amazônia. O futebol profissional atuou em rodada dupla, o Iranduba disputou o Brasileiro, além das finais da modalidade futebol dos Jogos Escolares do Amazonas, futebol americano e, por fim, o Futebol comunitário, através das competições da Liga da Amazônia. Só tenho agradecer ao ex-secretário Fabrício Lima pela oportunidade - finalizou.

Nota da FAF na íntegra

O Presidente da Federação Amazonense de Futebol, no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social em eu artigo 57, inciso IV e VII e Artigo 68:

CONSIDERANDO a necessidade de tornar público de forma unificada as atividades da Federação Amazonense de Futebol;

CONSIDERANDO a necessidade de melhor estruturar os departamentos visando atender as novas necessidades das demandas do futebol.

RESOLVE: Diretor Executivo de Futebol de Base.

CRIAR: a Diretoria Executiva de Futebol de Base, que integrará o departamento Técnico, Eventos e de Registro.

NOMEAR, o Profº. THIAGO BENTO DURANTE, brasileiro, casado, para exercer a função de Diretor Executivo de Futebol de Base da Federação Amazonense de Futebol.


Histórico como dirigente

Thiago Durante, antes e até durante o período em que foi gestor dos estádios, passou pela coordenação e diretoria do futebol de base do Fast Club. O ponto negativo é que não teve uma temporada em que ele não tenha se envolvido em alguma confusão. Em 2015, foi suspenso por 90 dias após acusação de ofensa à honra pela Carlos Augusto S. de Souza, após a partida entre Fast e Operário, pela Copa Amazonas. Na oportunidade, ele alegou que estava na arquibancada, não como dirigente, mas como torcedor comum.

A confusão de 2016 foi ainda pior. Durante foi suspenso de suas funções por 60 dias após se envolver em uma confusão com o presidente da Associação dos Árbitros de Futebol do Amazonas (Asaf), Weden Cardoso, em um jogo da Copa Amazonas. Thiago e Weden, que naquela altura era o quarto árbitro da partida entre Manaus e Fast, começaram a discutir no vestiário da equipe, por conta da relação dos jogadores. Pouco tempo depois, já na beira do campo, o bate-boca voltou. Cercado por policiais do batalhão de choque, o quarto árbitro se exaltou, após ouvir reclamações do dirigente, e soltou um soco no rosto de Durante. Thiago abriu um boletim de ocorrência do caso.

Em 2017, outra situação desconfortável. Durante foi acusado pelo treinador Aderbal Lana de ter iniciado uma confusão que terminou com briga, spray de pimenta e até guerra de bumbos na arquibancada. O caso ocorreu na semifinal do Campeonato Amazonense, novamente entre Gavião do Norte e Rolo Compressor.

- A confusão começou com o gestor do estádio, que é uma pessoa gente boa, o Thiago [Durante]. Ele começou toda a confusão. Com a expulsão, ele veio pro banco e aí começou a confusão. Acho que isso aí a Federação tem que olhar. Quando eu fui julgado no TJD, me disseram que qualquer um pode dar entrada num processo. Como a gente que trabalha é processado, as pessoas que dirigem também tem que ser – disse Lana.

Durante, que não havia sido encontrado no dia da briga, conversou com o GloboEsporte.com poucos dias depois. Ele se defendeu e afirmou que a denúncia era uma injustiça. Ele alegou que chegou depois da confusão ter iniciado e foi com o intuito de evitar que quebrassem o patrimônio público.

- Isso é uma covardia e uma injustiça muito grande. Quando eu cheguei lá, tudo já tinha acontecido. Eu estava assistindo todo o jogo do outro lado do estádio. Daquela arquibancada onde fica a imprensa filmando. E fui chamado pelos funcionários do estádio porque estavam quebrando lixeiras, quebrando tudo. E o meu papel ali é zelar pelo patrimônio público, porque é o meu trabalho - finalizou.

Foto: Arquivo/Globoesporte.com
Fonte: Globoesporte.com
 
© Copyright 2004 - 2017 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte