Notícias
Prefeito diz que não negou apoio à Adesg
Acreano-2018
31.12.2017 - 16:45 - Acre

Depois de ver a divulgação da desistência da Adesg de disputar o Campeonato Acreano 2018 através de notícia veiculada pelo GloboEsporte.com, na última sexta-feira (29), o prefeito do município de Senador Guiomard, André Maia, entrou em contato com a reportagem para dar o posicionamento da gestão sobre a afirmação do presidente do clube, Gil Oliveira, de que a prefeitura teria se negado a dar apoio para que a agremiação participasse da competição.

Segundo Maia, em nenhum momento a administração pública da cidade negou apoio, no entanto, a solicitação feita pelo presidente do clube está fora da realidade e é impossível de ser atendida.

- Assim que assumi (no início de 2017), esse Gil se apresentou pra mim dizendo que era presidente da Adesg, que era empresário, e que queria investir no futebol. A nossa parte foi de dar a logística pra ele, de ônibus, combustível, medicamentos para jogadores, e a estrutura do estádio para eles treinarem. Fizemos isso no decorrer de 2017. Graças a Deus, a Adesg ganhou (a 2ª divisão do Acreano). Só que depois, quando ganhou ele queria uma ajuda financeira. E eu falei pra ele que num momento de crise como esse, a gente só pode ajudar com a logística e estrutura física. Com dinheiro não, vamos tentar procurar alguns parceiros. E aí ele começou a vir pra cima, queria que a prefeitura desse R$ 30 mil por mês durante o campeonato, que daria um total de R$ 120 mil. Eu falei que era impossível porque com um dinheiro desse se compra remédios, faz muitas outras prioridades. Não que o esporte não seja, mas tem coisas mais importantes – explica.

O gestor ressalta ainda que o estádio municipal está em fase final de reforma e deve ser reinaugurado até o mês de fevereiro. Ele destaca que, caso o clube não dispute mesmo o estadual, a prefeitura deverá investir nas categorias de base para formar um time com atletas locais, o que reduziria os custos financeiros.

- Falei que em 2018, em janeiro, inauguramos o estádio (municipal). Se a Adesg não estiver no campeonato, vamos investir nas categorias de base, por muito menos que esses R$ 30 mil, e quem sabe a Adesg, até o final do meu mandato, possa ter um time. O grande erro dele (Gil Oliveira), na minha opinião, foi querer trazer jogadores de fora com custo elevado. Se tiver um time que leve o nome do município posso ajudar, mas não com R$ 30 mil, e sim com logística, medicamentos, combustível – declara.

André Maia lamenta a possibilidade do município não ter seu representante em campo no Campeonato Acreano e descarta qualquer chance de uma nova conversa com Gil Oliveira sobre possibilidade de novo apoio.

- Fico triste porque acredito que foi uma falta de planejamento dele. Só não quero pegar o ônus, porque já temos tantos problemas, e colocar na conta da prefeitura. Como ele já partiu pra imprensa, nem quero mais receber ele porque só fala em dinheiro. Quero inaugurar o estádio, trabalhar com a base e, no ano que vem, caso a Adesg esteja na mão de um novo presidente, vamos apostar em um time local – finaliza.

A Adesg integra o grupo B do Campeonato Acreano, ao lado de Galvez, Rio Branco-AC e Vasco-AC. O clube entregou na sexta-feira, à Federação de Futebol do Acre (FFAC), a carta de desistência do estadual. A entidade que gere o futebol acreano está de recesso neste fim de ano e só deve se posicionar oficialmente a partir de terça-feira (2), quando retornam os trabalhos para a temporada 2018.

Foto: Manoel Façanha
Fonte: Globoesporte.com
 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte