Notícias
Zagueiro remista não sofre de epilepsia
29.12.2005 - 11:19 - Pará

Num e-mail enviado à redação do DIÁRIO DO PARÁ, uma pessoa de prenome Fernanda, dizendo ser namorada do zagueiro Luiz Oscar, que sofreu uma crise convulsiva na última segunda-feira, indo parar na UTI de um hospital da cidade e recebendo alta somente na última terça-feira, esclareceu que o defensor não toma remédios controlados, tampouco sofre de epilepsia, conforme foi divulgado ontem, no Bola, onde a reportagem se baseou em informações extra-oficiais.

"O Luiz Oscar não faz uso de medicação para epilepsia, como comentado, retifico a informação veiculada e gostaria de agradecer o apoio do povo de Belém que muito bem o acolheu", disse ela. Fernanda, que reside em Caxias do Sul (RS), cidade natal do jogador azulino, salientou ainda que já conversou com o atleta e que jamais passou por um problema dessa natureza.

"Ele está bem e se recuperando. O Luiz é uma pessoa muito forte e saudável. Jamais havia passado por qualquer coisa parecida. Acredito que a convulsão tenha se dado em razão do esforço feito pelo atleta, somado ao calor de Belém do Pará. O único problema do Luiz é querer superar sempre seus limites. Em razão dessa sua qualidade, ele é o vencedor que nós conhecemos. Para ele, não existe bola perdida, e não pode existir possibilidade de perder nada. Dessa forma, ele quer sempre fazer o melhor e, naquele momento, passou um pouco os limites que o corpo humano pode aguentar", declarou.

O zagueiro, que não acompanhará o grupo para a pré-temporada em Salinas, segue repousando na Toca do Leão e não quis ainda falar com a imprensa sobre o episódio, autorizando o cardiologista Henrique Custódio, chefe do departamento médico remista, prestar qualquer esclarecimento sobre o assunto.

Fonte: Diário do Pará
 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte