Notícias
Presidente do Nacional explica pendências em terceirização
Bastidores
10.08.2018 - 10:35 - Amazonas

O processo de terceirização do departamento de futebol do Nacional Futebol Clube ganhou uma um capítulo na última quarta-feira (08), após apontamentos feitos pelo clube sobre o andamento das negociações. Procurado pelo CRAQUE, o presidente do clube, Roberto Peggy, explicou detalhes sobre a condução das negociações.

O primeiro item pendente apontado pelo clube são credenciais de representação do empresário e pré-candidato a deputado estadual pelo PR, Luíz Américo, apresentado como representante da BSI Soccer na negociação com a empresa chinesa Ledman. De acordo com Peggy, ainda não houve sequer a apresentação de documentos oficiais que comprovassem, oficialmente, o vínculo com os chineses. “Com relação às credenciais, foi apresentado um documento digitalmente, uma procuração da BSI colocando o senhor Luiz Américo como representante deles e da Ledman Sports aqui para a tratativa. Porém era um documento praticamente informal e o conselho deliberativo, nas primeiras reuniões, solicitou formalmente na presença do senhor Luiz Américo o documento formal, com firma reconhecida, como tem que ser. O argumento sempre foi que, quando avançassem as negociações contratuais estas credenciais seriam apresentadas”, revelou Peggy.

Outro item apontado como pendência na nota oficial seria uma conferência telefônica ou contato com representantes da BSI Soccer/Ledman Sports. “Apesar da insistência, já há alguns meses, e também do próprio conselho ter solicitado uma visita ou então uma conferência com algum outro membro, nós não obtivemos sucesso até o momento. As tratativas todas foram feitas através do senhor Luíz Américo e com o mesmo argumento: conforme a questão contratual avançasse, ou seja, quando consolidássemos isso, essas pendências seriam supridas. E neste momento nós estamos aguardando o posicionamento destas pendências para que sejam apresentadas e sanadas o quanto antes. Eu imagino que a nota oficial traz, já no seu conteúdo, uma cobrança formal que o conselho deliberativo está fazendo”, acrescentou o presidente do Nacional.

Roberto Peggy também afirmou que, apesar da ausência de tais garantias até o momento, o clube está tomando todos os cuidados necessários com o processo. “Independente de qualquer coisa estes são os cuidados primordiais para se fazer um contrato deste. Primeiro termos realmente essa parte de representatividade, formalidade disso cumprida, segundo que o aporte financeiro seja feito no ato da assinatura, ou cinco dias após conforme manda o contrato. Fora isso não existe contrato sem cumprir estas demandas e sem realmente fazer o aporte não tem como se dar continuidade em nada. Mas nós estamos aguardando, entendemos existe um prazo por eles estarem do outro lado do planeta e estamos aqui à espera”, finalizou.

Resposta

O CRAQUE fez contato direto com o empresário e pré-candidato, Luíz Américo. A equipe do empresário chegou a retornar a ligação, afirmando que daria uma posição sobre o caso, mas não houve retorno até o fechamento desta matéria.

Foto: Divulgação/Nacional
Fonte: Jornal A Crítica
 
© Copyright 2004 - 2018 / Todos os direitos reservados a Futebol do Norte