Notícias
Copa América será um duro teste da Seleção Brasileira de Tite sem a presença de Neymar
Bastidores
19.06.2019 - 10:32 - Giro pelo Brasil
Foto: Pxhere

Em apenas alguns dias, a Copa América passou de obrigação para um importante teste da Seleção Brasileira. Após o corte de Neymar, o treinador Tite precisou rapidamente rever o esquema tático e o estilo de jogo para a disputa. É a chance de ver como a equipe vai se sair com a ausência do principal nome. O resultado será colocado em prova durante junho e julho, quando os brasileiros buscam a nona conquista do torneio continental.

O Brasil tem um aproveitamento de 65,7% com Neymar em campo, como mostram os números do portal Onefootball. São 23 vitórias, 10 empates e apenas duas derrotas. Ou seja, o treinador Tite sempre viu um bom rendimento com o craque em campo. Já sem o jogador, os resultados sofrem uma grande queda. O aproveitamento cai para os 36% e comprova uma certa fragilidade do elenco nacional.

Além disso, a ausência do craque também marca algumas eliminações traumatizantes da Seleção Brasileira, como no Mundial de 2014 e também na Copa América de 2015. O motivo é, principalmente, a falta de poder ofensivo. Segundo reportagem de 2018 do jornal Destak, a média de gols da Seleção sem Neymar é muito inferior, cerca de 1,8 gols por jogo. O atacante do PSG faz esse número crescer para 2,6 quando está em campo.

Sem o camisa 10, e agora com a chegada de Willian, Tite vai ter uma oportunidade para testar um esquema tático diferente. A equipe vai colocar em prova a força que tem na América do Sul. Por jogar em casa, a equipe ainda continua muito bem cotada na internet. O portal de apostas da Betway, no dia 10 de junho, ainda colocava o Brasil como principal favorito. A Seleção Brasileira aparecia com 43,5% de chance de título, mesmo desfalcada.

Disputa contra os rivais

Quando o assunto são os clássicos sul-americanos, a presença de Neymar parece mais importante. Por isso, a Copa América será um teste único e complicado para o trabalho de Tite. O jornal O Globo mostrou em dados que a ausência do craque é sentida, quase sempre, nas disputas contra Argentina, Uruguai e outras seleções da América do Sul. Ele é essencial desde 2010, quando estreou com a camisa amarela.

Neymar disputou 39 clássicos e conseguiu um aproveitamento de 70%. São 24 vitórias, 11 empates e apenas quatro derrotas registradas nestes nove anos na Seleção. Sem ele em campo, a equipe acaba sofrendo nas partidas. São apenas 10 jogos, mas um aproveitamento de 50%. Ou seja, quatro vitórias, três empates e três derrotas. Números que assustam os torcedores, mas que podem ser melhorados agora em junho e julho com a Copa América.



O objetivo de Tite na Copa América, antes do corte, era conquistar o torneio de qualquer forma. Porém, agora o alvo será outro. É importante para o treinador mostrar que a Seleção não precisa de um jogador para render bem em campo. Por isso, o bom futebol de Philippe Coutinho, Gabriel Jesus, Roberto Firmino e outros será essencial nas partidas a serem disputadas no Brasil. Nomes bons não faltam no elenco.

Primeiros testes promissores

Nos dois amistosos sem a presença de Neymar, o Brasil conseguiu mostrar bom serviço para os torcedores brasileiros. Jogando em Brasília, a Seleção conseguiu vencer o Catar por 2 a 0, com um bom futebol de Coutinho. Na semana seguinte, em Porto Alegre, Tite viu um 7 a 0 contra Honduras marcar o último teste antes do início da Copa América. Foi a maior goleada com o treinador no comando.



Para o lugar de Neymar, Tite convocou o ala Willian, que está no Chelsea. Apesar da temporada com menor destaque, o jogador brasileiro teve papel importante na conquista da Liga Europa. Ele sempre foi um dos jogadores de confiança do treinador italiano Maurizio Sarri. No entanto, David Neres e Everton devem disputar a posição deixada por Neymar no lado do campo, já que possuem características semelhantes ao antigo dono da posição.

Após a Copa América, que termina no dia 7 de julho, a Seleção Brasileira já deve focar nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Os jogos, que ainda devem ser sorteados, começam no final do ano e vão até 2021. O Brasil busca mais uma vez conseguir a classificação para que, no Catar, o sonho do hexacampeonato mundial vire realidade.

Fonte: Pixabay.com
 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte