Notícias
Técnico do Paysandu revela que 'meteu a porrada' em torcedor durante invasão
Série C
09.09.2019 - 18:28 - Pará

A invasão protagonizada pela torcida do Náutico para comemorar o acesso, conquistado após vitória nos pênaltis sobre o Paysandu, no Aflitos, encheu os olhos de boa parte dos apaixonados por futebol, que puderam relembrar outros tempos do esporte. O sentimento não foi o mesmo para o técnico do Papão, Hélio dos Anjos, que se sentiu ameaçado com o campo tomado por torcedores adversários e revelou ter agredido um deles.

“Nós podíamos ser massacrados. Mais de 10 mil pessoas entrando no gramado. E eu vou ser sincero, eu meti a porrada em um (torcedor)”, afirmou o treinador bicolor, que ainda reclamou da atuação do árbitro Leandro Vuaden, muito criticado pelo pênalti marcado a favor do Timbu no último minuto da partida, por um toque de mão de Uchôa. Além disso, criticou até Leonardo Gaciba, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF.

“Eu não tenho nada contra o Náutico, mas hoje eu queria que o Gaciba (Leonardo Gaciba, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) explicasse, pois ele era um árbitro fraco fisicamente, não conseguia passar nos testes físicos e hoje ele está comandando (arbitragem brasileira) e fez isso aí com a gente”, disse.

NÃO ACABOU

A insatisfação com a arbitragem foi tanta que a diretoria do Paysandu resolveu tomar medidas formais. Presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul viajou ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira para reclamar oficialmente do pênalti marcado no jogo de volta e de um pênalti não marcado , em cima de Hygor Silva, no jogo de ida. O cartola prometeu tomar medidas judiciais.

OUTRA AGRESSÃO

Em nota oficial divulgada nesta segunda, o clube falou sobre as providências que pretende tomar e fez coro a reclamação de Hélio dos Anjos sobre a invasão, relatando uma agressão sofrida pelo odontólogo do clube, Fernando Augusto.

"Na saída de campo, jogadores e integrantes da comissão técnica foram cercados por milhares de torcedores do Náutico que invadiram o gramado. O odontólogo do clube, Fernando Augusto, foi agredido durante a invasão. A equipe teve de descer para o vestiário escoltada por um cordão de isolamento feito por policiais militares, em um ambiente totalmente hostil e que colocou em risco a integridade física e até a vida de aproximadamente 30 profissionais", diz o trecho da nota.

Foto: Jorge Luiz/Paysandu
Fonte: Futebol Interior
 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte