Notícias
Luiz Carlos Winck nega negociações com Fast Clube
Bastidores
09.10.2019 - 14:19 - Amazonas

Classificado para a disputa da Série D do Brasileirão na temporada 2020, a diretoria do Fast Clube já se mobiliza nos bastidores visando a principal competição do ano que vem. O primeiro passo é escolher um comandante para o Rolo Compressor e o nome do gaúcho Luiz Carlos Winck está na pauta do Tricolor.

Pelo menos é o que se especulou nos últimos dias na imprensa esportiva local. A notícia é a de que o presidente do Fast, Denis Albuquerque, estaria com conversas adiantadas com o treinador, e que a assinatura de um acordo entre as partes estava muito próxima.

No entanto, em entrevista exclusiva ao CRAQUE, o ex-lateral direito da Seleção Brasileira negou qualquer tipo de negociação com a diretoria fastiana. “Relacionado a essa questão do Fast, momentaneamente, não tem nada (negociação). O Fast é uma equipe que conheço bem, eu dirigi vários clubes no futebol amazonense: São Raimundo, Nacional, Rio Negro, Operário, Manaus Compensão. Então conheço bem o futebol amazonense e o Fast é um dos grandes clubes do futebol amazonense. A gente fica feliz pelo interesse, mas, momentaneamente, não existe nenhuma negociação”, enfatizou Winck, que esteve à frente do Juventude até março deste ano.

Conhecido do torcedor baré por suas passagens por São Raimundo, Nacional, Rio Negro entre outras equipes locais, Winck conhece bem o futebol amazonense, o que teria despertado o interesse do Fast. A possível vinda de Luiz Carlos Winck ao Fast Clube seria para “bater de frente” com o Manaus, clube tricampeão amazonense e que alcançou o acesso à Série C nesta temporada.

“Relacionado a fazer frente ao Manaus, em primeiro lugar quero dar os parabéns ao Manaus que fez um belo trabalho e teve o acesso pra Série C na próxima temporada”, disse o técnico confirmando que, mesmo de longe, tem acompanhado a evolução do futebol amazonense nas últimas temporadas.

“O futebol amazonense eu tenho acompanhado sim, conheço muito. Acredito que realmente melhorou nesses últimos tempos, mas ainda precisa de mais investimentos. Acho que um clube num todo precisa investir cada vez mais pra ter um retorno maior”, revelou Winck agradecendo o interesse e elogiando a iniciativa dos dirigentes do clube.

“Fico feliz pelo pensamento do Fast (em fazer frente ao Manaus). Acho que o Fast está pensando de maneira correta, a sua direção está pensando grande e tem de pensar dessa maneira. Porque é dessa maneira que vai alcançar sucesso, buscando projeções dentro do cenário do futebol brasileiro e também do futebol local. Então a gente fica por essas declarações da direção do Fast e espero realmente que tenha muito sucesso em tudo aquilo que eles forem fazer no pensamento pra 2020, e na sequência dos anos”, declarou o treinador.

Prestes a completar 20 anos como técnico, Winck, de 56 anos, fez análise positiva da carreira. “Acho que esses anos têm me dado uma experiência muito boa, aprendizado, que acho que a gente tem de aprender todos os dias, né? E feliz, assim como fui feliz em Manaus também, porque trabalhei com vários clubes, procurei sempre ajudar, sempre fazer o melhor e acho que é isso. A carreira tem sido boa e eu procuro almejar sempre coisas maiores. Meu sonho é chegar nos clubes da Série A, estive bem próximo, e acho que isso pode acontecer logo, logo”, concluiu.

Foto: Divulgação
Fonte: Jornal A Crítica
 


© Copyright 2004 - 2019 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte