Notícias
"Saímos de cabeça erguida", diz goleiro Victor
Nacional
10.01.2020 - 16:04 - Amazonas

Três jogos. Dez gols sofridos. Se futebol fosse apenas números, provavelmente o goleiro José Victor não voltaria a Manaus como um dos principais - senão o grande nome - do Nacional-AM na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Mas, que bom para ele, nem tudo é resumido em estatísticas. Apesar da eliminação precoce, e com a defesa mais vazada do grupo 6, ele destacou o desempenho de seus companheiros e ressaltou que deixa Rio Claro, cidade-sede da chave, orgulhoso e de cabeça erguida.

- A Copinha é uma competição de base muito disputada, que reúne os sonhos de muitos jovens. É uma competição onde estão as melhores bases do mundo, atletas de alto nível. O nosso grupo era muito forte, sabíamos disso desde o começo. Trabalhamos para chegar aqui preparados, mas a realidade é totalmente diferente quando se compara os outros estados ao nosso - disse.

"Mas tenha certeza que saímos de cabeça erguida. Pelos adversários que tínhamos pela nossa frente, conseguimos ter um resultado positivo de uma vitória contra o Velo Clube, a equipe da casa. Estamos orgulhosos e hoje sou gratidão a quem torceu e jogou com a gente"

Com 1,74 metros, estatura muito abaixo da média para goleiros, José Victor chegou desacreditado na Copinha. A descrença, porém, logo se transformou em elogios da imprensa local e dos comentaristas. Ele fez sete defesas difíceis nos três jogos. Contra o RB Brasil, principalmente, evitou uma tragédia maior. Ele comentou sobre a partida.

Tínhamos chances contra o Red Bull, mas infelizmente enfrentamos uma equipe muito forte física e tecnicamente. Mas acredito que o resultado dentro de campo não mostra exatamente como saímos. Estamos de cabeça erguida, consciente que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance. A experiência que adquirimos ali levaremos para toda a vida - ilustrou.

Ele ainda agradeceu a oportunidade de representar o Nacional e cavou uma vaga na equipe. Vale dizer que o Nacional só tem um goleiro para 2020, André Regly.

- O Nacional me ajudou a realizar um sonho que foi disputar uma Copa São Paulo de Futebol Júnior. Toda a minha gratidão ao professor Raphael Perrone, que me deu esse honra, ao professor José Ribamar, que acreditou no meu trabalho, aos meus companheiros que, assim como eu, não deixaram de acreditar um minuto que seria possível. Espero poder continuar vestindo essa camisa. Este é só o começo - finalizou.

Foto: Gustavo Muniz
Fonte: Globoesporte.com
 


© Copyright 2004 - 2020 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte